Quinta-feira, 5 de Março de 2009

Não sei onde anda o meu amigo esta quarta-feira de cinzas.

 

Se está no Céu, se no Inferno, ou numa ala especial de um qualquer sambódromo de um purgatório exclusivo a génios da Bossa Nova...

No meu coração está concerteza...no meu coração há sempre lugar para pecadores, como calculo que o meu amigo tenha sido...

Um dia em que me junte a si, o que espero que seja daqui a muitos anos, isto apesar de, no momento em que me dirijo a si, estar numa sala de um hospital em Lisboa, a fazer tratamentos de quimioterapia...

Mas escrevo-lhe esta carta, em forma de crónicaradiofónica, espero que o meu amigo ouça o Rádio Clube, para fazermos ambos alguma reflexão sobre a letra que o meu amigo, em boa hora escreveu, e neste momento interpreta, soberanamente num clip que vejo no Youtube...

Venho com o meu computador portátil para os tratamentos...e olhe, é o melhor que faço...

Gosto desse seu chapéu preto, e do casaco branco...

Gosto particularmente da forma carinhosa como os seus dedos tocam as teclas do seu piano...

E concordo consigo quando diz que a "Tristeza não tem fim... Felicidade, sim..."
 

 

 


Essas coincidências entre o fado e samba...
 

Bem, mas infelizmente, também concordo, que a felicidade do pobre parece a grande ilusão do carnaval; bem, mas aí no Brasil - calculo que a sua alma ainda ande pelas ruas da sua Ipanema - apesar de tudo é um pouco diferente de Portugal...

Nós também trabalhamos o ano inteiro, mas não por esse grande momento do sonho que é o Carnaval do Rio...
 

Cá também nos mascaramos de rei, ou pirata, ou jardineira, e nem tudo aqui acaba na quarta-feira...

Veja bem, por cá, no nosso famoso Carnaval de Torres Vedras, até acusaram um pequeno computador de atentado ao pudor...

E temo bem que essas coisas não acabem nesta quarta-feira de cinzas aqui em Portugal...

Não se esteja a rir Tom, por favor...é um país irmão...

Bem, mas voltemos à razão desta carta...estava apenas a rondar o tema com essa coisa da felicidade não ter fim...

O que eu queria mesmo era pedir-lhe para que cantasse para mim as Àguas de Março...o mês que fecha o Verão no Brasil, mas que traz a Primavera a Portugal

É a canção que melhor retrata a esperança de vida que sinto hoje no meu coração... Para mim é quarta-feira de cinzas, para renascer delas...

É verdade, o caminho é longo, mas eu cá sei que me vou curar...

Ouvi-lo ajuda-me a enfrentar aqui a luta contra o meu tumor com bastante mais alegria... Olhe, e sabe?

Ontem lá em casa vimos uma andorinha a voar sobre as nossas cabeças... Era você Tom?... Está a brincar comigo não?

<http://www.youtube.com/watch?v=hShCXWR8uaQ>

 



publicado por Novas Crónicas da Sala de Espera às 11:23 | link do post | favorito

Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



Este é um díario, com cónicas que leio todos os dias no Rádio Clube, durante o programa Janela Aberta. São relatos da experiência que vivo na luta contra um tumor no recto. Emite todos os dias depois das 18h15.
mais sobre mim
Dezembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


posts recentes

O problema da crescente b...

Tocam os Xutos...no meu p...

Crónica de dia do pai

É aqui que adormeço...nos...

Nascer copular e morrer.....

Vingarmo-nos de cancros c...

"A minha cadela acabou de...

Meu caro Tom Jobim...

O pai de um amigo...

Entre a Rádioterapia e a ...

arquivos

Dezembro 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

links
blogs SAPO
subscrever feeds